SEMI – Aula 08

Publicado por Ricardo Gaúcho Em 27 agosto 2017 Comentários desativados em SEMI – Aula 08
Tech tipsComputer Tricks

 

08.01. [b]

Em meio a uma grande diversidade de bactérias pode haver algumas que apresentem uma estrutura tal que o medicamento não faça o efeito esperado. Estas bactérias irão sobreviver e se multiplicar, transferindo seus genes resistentes para as próximas gerações o que, por sua vez, pode produzir linhagens resistentes aos antibióticos aplicados.

____________________

08.02. [d]

Diferentes raças ou subespécies são divisões de uma mesma espécie. No caso específico dos cães, isso se deveu à ação seletiva que o ser humano empregou às diferenças raciais que naturalmente se formaram ao longo do tempo no cão domesticado. Raças interessantes foram preservadas e protegidas de intercruzamentos com outras raças. Desta forma, podemos afirmar que o ser humano promoveu uma seleção artificial.

____________________

08.03. [a]

Em meio a uma grande diversidade de bactérias pode haver algumas que apresentem uma estrutura tal que o medicamento não faça o efeito esperado. Estas bactérias irão sobreviver e se multiplicar, transferindo seus genes resistentes para as próximas gerações o que, por sua vez, pode produzir linhagens resistentes aos antibióticos aplicados.

____________________

08.04. [c]

Ramificação ou “clado”, daí, cladogênese.

____________________

08.05. [d]

V. O isolamento geográfico faz com que as populações, separadas em seus territórios, armazenem mutações diferentes ao longo do tempo, o que leva à formação de raças ou subespécies (IV).

Uma vez que os grupos apresentam fenótipos diferentes, a seleção natural começa a agir de forma diferencial (I).

As diferenças se acumulam ao longo do tempo criando diferenças tão grandes que impedem a reprodução entre elas (II).

Com o isolamento reprodutivo (II), se dá por estabelecido a formação de novas espécies (III).

____________________

08.06. [a]

As afirmações são verdadeiras.

____________________

08.07. [a]

Quando o texto afirma que “o homem moderno não apresenta tantos pelos como os seus ancestrais, pois deixou de usar”, fica estabelecida a relação com a lei de uso-desuso, segundo a teoria de Lamarck.

Neste sentido, os pelos diminuíram em função de não desempenharem mais a função original de manter a temperatura do corpo estável. Esta noção, no entanto, foi negada pela teoria moderna da evolução. Esta teoria vê nesta situação não o uso-desuso, mas, um caso claro de seleção natural. No passado, aqueles que nasciam com uma genética que determinava menos pelos no corpo, sofriam mais problemas em relação ao controle de temperatura corporal, tendo suas chances de sobrevivência diminuídas.

Uma queda brusca de temperatura poderia facilmente levá-los à morte e seus genes tendiam a diminuir na população. Desta forma, portadores de genes para pouca pelagem nunca cresceram em número.

Com o desenvolvimento de roupas e abrigos, esta desvantagem deixou de ser um critério de sobrevivência. A partir de agora, os humanos de pouca pelagem tinham as mesmas chances de sobrevivência que os de pelagem abundante. O fato, no entanto, é que nos dias atuais os portadores de pouca pelagem constituem a maioria absoluta da população, contra uma minoria insignificante de pelagem mais abundante. Temos aqui um novo caso de seleção natural.

O excesso de pelagem abrigava também muitos parasitas transmissores de doenças, problema que os de pouca pelagem não enfrentavam de forma tão acentuada. Assim, gradativamente, a pouca pelagem se tornou uma vantagem evolutiva.

 ____________________

08.08. [a]

O antibiótico presente no colírio promoveu uma processo de seleção, de forma que as bactérias que naturalmente eram portadoras de uma estrutura tal que o medicamento não fazia efeito nelas, acabavam não morrendo. Desta forma, a genética que possibilitava a sobrevivência ao efeito químico do antibiótico, era passada a diante durante o processo de reprodução. Algumas delas podem ter sido aleatoriamente carregadas pela corrente sanguínea e atingido o intestino. Uma vez lá e livre da ação do antibiótico, reproduziram até atingir uma população grande o bastante para causar problemas que se evidenciaram pela diarreia descrita no enunciado.

____________________

08.09. [a]

O isolamento geográfico impede que as mutações aleatórias se espalhem entre os indivíduos de uma mesma espécie, uma vez que se encontram separadas geograficamente.

Com o tempo, há um acúmulo tão grande de mutações que os grupos isolados se diferenciam a ponto de não conseguirem mais se intercruzarem (isolamento reprodutivo), o que caracteriza a especiação.

____________________

08.10. [b]

MUTAÇÃO — O primeiro passo no processo evolutivo é a criação da diversidade. Isso se dá através de mutações aleatórias no genoma.

VARIABILIDADE DE GENÓTIPOS — Genes mutantes são, na prática, novos tipos de genes diferentes dos tradicionais. As mutações, assim, criam novos tipos de genes, novos criam novos genótipos.

VARIABILIDADE DE FENÓTIPOS — Novos genótipos manifestam diferentes características no organismo, isto é, novos genótipos manifestam novos fenótipos.

SELEÇÃO — Agora que novas características estão sendo manifestadas, o processo de seleção poderá entrar em ação, determinando quais novas características sobrevivem e passarão para a próxima geração e quais irão desaparecer devido a sua baixa qualidade de gerar sobrevivência no portador.

____________________

08.11. [c]

I.(F) O isolamento geográfico pode ter ocorrido na indicação de A, pois foi ali que começou a diferenciação via cladogênese que resultou nos tipos diferentes apontados pelo segmento C.

Assim, em C, a especiação já está adiantada, o que prova que o isolamento geográfico se deu bem antes, no caso, em A.

III.(F) A cladogênese (A) até se dá por um processo alopátrico, mas, a anagênese (B), não. A anagênese se dá por um processo simpátrico (sem isolamento geográfico).

____________________

08.12. 11 (01, 02, 08)

04.(F) “pré-zigótico, por inviabilidade dos híbridos” – pré-zigótico indica que o mecanismo de especiação se dá por dificuldades anteriores à formação do zigoto, como é o caso, por exemplo, das mudanças de rituais de acasalamento que impedem a fecundação e a consequente formação de um zigoto (mecanismo pré-zigótico), ou mudanças mecânicas nos genitais que, impedindo o cruzamento, impedem também a fecundação e a formação de um zigoto (pré-zigótico).

Quando a afirmação propõem “inviabilidade do híbrido” é sinal de que foi formado um zigoto que deu origem a um híbrido e não pode, portanto, ser classificada como pré-zigótica.

____________________

08.13. [b]

a)(F) A necessidade não faz características novas surgirem em um organismo. A necessidade de sobrevivência entra no núcleo das células e muda inteligentemente o material genético de forma a aumentar as chances de sobrevivência de um ser vivo? NÃO. A necessidade apenas seleciona quem vive e quem morre.

b)(V) No final das contas, a força que determina quem vive ou quem morre na natureza é o próprio ambiente. Organismos dotados de boas características sobrevivem, do contrário, morrem por pressão seletiva ambiental. O ambiente seria o carrasco da natureza. No entanto, ele não direciona nenhuma espécie a desenvolver esta ou aquela característica.

c)(F) A variabilidade genética NÃO é estabelecida a partir da ação da seleção natural e SIM pelas mutações e recombinações gênicas que ocorrem no material genético dos organismos. A seleção natural entra no núcleo das células e muda inteligentemente o material genético de forma a aumentar as chances de sobrevivência de um ser vivo? NÃO.

e)(F) Trata-se exatamente do contrário do que está sendo afirmado. Darwin AFIRMOU a importância da aleatoriedade e do acaso, afinal, é daí que surge a diversidade de características de uma espécie.

Quanto maior a diversidade de características em uma espécie, mais indivíduos aleatoriamente diferentes e, por consequência, maiores as chances desta espécie diversificada apresentar indivíduos que consigam sobreviver às mudanças que, continuamente, ocorrem nos ambientes da Terra.

____________________

08.14. [c]

a)(F) As substâncias fotoprotetoras são produzidas nas células vegetais a partir de informações codificadas nos genes presentes no DNA. Estes genes, no entanto, não surgiram pela necessidade de evitar os problemas causados pela radiação. Isto seria uma concepção Lamarquista. A necessidade de sobrevivência à radiação UV entra no núcleo das células das araucária e muda inteligentemente o material genético de forma a aumentar as chances de sobrevivência da planta quando exposta aos raios UV? NÃO.

c)(V) Uma vez que substâncias antioxidantes e fotoprotetoras protegem o vegetal contra a ação dos raios UV, é de se supor que houve um processo de seleção natural ao longo do tempo. Aquelas plantas que herdavam esta característica, sobreviviam melhor às altas taxas de raios UV. Na medida em que sobreviviam por mais tempo, deixavam mais filhos herdeiros desta característica. Assim, ao longo do tempo, a quantidade de indivíduos portadores da capacidade de produzirem fotoprotetores foi aumentando na população de araucárias, de modo que hoje, praticamente todas araucárias têm esta proteção.

e)(F) A evolução não tem finalidade. Existe os organismos que vivem e existe os organismos que morrem, apenas isso. O DNA tem um objetivo na vida? O gene tem a intenção de fazer o seu dono mais forte e mais adaptado?

____________________

08.15. [a]

(F) A exposição excessiva de bactérias hospitalares sensíveis a antibióticos não promove a sua adaptação. Para isso acontecer o material genético da bactéria teria que mudar de forma planejada, inteligente e intencional a fim de atingir a resistência, coisa que, na prática, jamais ocorre.

____________________

08.16. [d]

III.(F) Em uma população existe diversidade de características e não as mesmas como afirmado.

____________________

08.17. [b]

Descrição teórica dos mecanismos de especiação mais comuns.

____________________

08.18. [e]

O isolamento geográfico impede que as mutações que ocorram em uma planta de um ambiente sejam transmitidas para plantas de outro ambiente.

Lentamente cada grupo irá acumulando mutações diferentes que, lentamente irão diferenciá-las.

Isso pode levar à formação de subespécies (raças) e, até mesmo, formação de novas espécies com o tempo.

____________________

08.19.

a) “Os bichos teriam, perdido suas patas como forma de se adaptar à vida colada ao solo…”

b)

trecho 1

– “esses membros minúsculos podem ser a chave para explicar como um grupo de lagartos acabou se transformando nas serpentes de hoje.”

 trecho 2

– “ o fato de ela ser encontrada em sedimentos terrestres”; “a observação de lagartos atuais que escavam galerias no subsolo ou ocupam tocas feitas por outros organismos. Esses lagartos apresentam corpos muito alongados, membros reduzidos […], crânios achatados e reforçados, utilizados para escavar” .

*(rés do chão = pavimento de uma casa ou edifício que fica ao nível do solo; andar térreo).

____________________

08.20.

a) Lamarquista – A alternativa sugere que o fato de viver na grama fez o gafanhoto desenvolver a cor verde, o que faz referência à lei do uso e desuso de Lamarck.

b) Darwinista – A alternativa sugere que pelo fato de o gafanhoto ser verde ele é selecionado positivamente e consegue viver camuflado no gramado verde.

 

____________________

Os Comentários Estão Fechados.