Aula 02

Publicado por Ricardo Gaúcho Em 15 junho 2010 19 Comentários
Tech tipsComputer Tricks

DICA-ENERGIA (clique para ler)

Energia na cadeia alimentar – áudio

 ____________________

 ____________________

 ____________________

 .

02.01. [a]

Ruído, agentes químicos, radiações ionizantes e acidentes são exemplos de fatores ABIÓTICOS, isto é, elementos físico-químicos.

 ____________________

02.02. [e]

Plantas fazem fotossíntese (produtores) e fungos agem na decomposição da matéria morta nos ecossistemas.

  ____________________

02.03. [d]

Na medida em que a larva se alimenta da planta, ela se comporta como um consumidor primário, isto é, é o primeiro a comer em sua cadeia alimentar.

O inseto predador da larva será, devorando a larva, um consumidor secundário.

  ____________________

02.04. [a]

O fitoplâncton está representa pelas algas e pelos vegetais aquáticos que são livremente levados pelas correntes, isto é, o fitoplâncton está representado pelos fotossintetizantes aquáticos.

Ora, uma vez que estes seres são produtores em ambientes aquáticos, pode-se afirmar que os fotossintetizantes como as gramíneas são produtores equivalentes em ambientes terrestres.

____________________

02.05. [c]

Golfinhos, moluscos e gaivotas ocupam o 3o nível trófico na teia alimentar representada. Observe a figura:

____________________

02.06. [a]

A madeira está no nível trófico dos produtores (1o nível trófico). O fungo que retira a energia da madeira se comporta-se, neste caso específico, como consumidor primário, uma vez que tira energia do produtor.

Os índios consumindo os fungos comportam-se como consumidores secundários

(madeira → fungo → humano).

 ____________________

 02.07. [a]

Fitoplânc. → camarão → lontra (2a ordem)

Fitoplânc. → molusco → peixe 2 → lontra (3a ordem)

Fitoplânc. → zooplân. → larva → peixe 3 → lontra (4a ordem)

Fitoplânc. → zooplân. → larva → besouro → peixe 3 → lontra (5a ordem)

Fitoplânc. → zooplân. → larva → besouro → rã → peixe 4 → lontra (6a ordem)

 ____________________

02.08. [c]

A energia diminui na medida em que é transferida de um nível trófico para outro.

“Capturado inicialmente pelos tecidos vegetais” significa dizer que a fotossíntese realizada por estas plantas armazenou a energia nas ligações químicas de moléculas orgânicas destes tecidos. Já os fungos e bactérias atuam como decompositores, isto é, transformam a matéria orgânica em matéria inorgânica (mineralização).

____________________

02.09. [e]

 ____________________

02.10. [e]

Os decompositores transformam a matéria orgânica dos seres mortos em matéria inorgânica, isto é, água, sais minerais e gases (processo de mineralização). Os sais minerais resultantes da decomposição abastecerão os vegetais de nutrientes.

 ____________________

02.11. [c]

O cão é um carnívoro e comporta-se, na cadeia alimentar, como um consumidor secundário para cima.

O mosquito é um parasita que se alimenta de sangue animal, enquadrando-se, portanto, como consumidor secundário para cima.

A Leishmania retira energia do mosquito e do cachorro, comportando-se também de consumidor secundário para cima.

O homem não deixa de ser um consumidor primário quando se alimenta de vegetais, porém, não há alternativa que considere isso.

Não há também nenhum decompositor expresso no texto.

____________________

02.12. [d]

A energia solar é absorvida pelos vegetais no processo de fotossíntese realizada pelos vegetais (autótrofos). A partir daí, a energia segue pera todos os demais componentes cadeia alimentar.

  ____________________

02.13. [e]

BACTÉRIAS FOTOSSINTETIZANTES — São autossuficientes em energia (autótrofo/produtor); bactérias quimiossintetizantes são autossuficientes em energia a partir da quimiossíntese (autótrofo/produtor).

BACTÉRIAS SAPROFÁGICAS (decompositores ou saprófitos) – conseguem energia decompondo a matéria morta (sapro – exprime a ideia de putrefato / decompositor). Não são auto-suficientes e dependem de outras criaturas para sobreviverem – são heterótrofos.

BACTÉRIAS PARASITAS — São aquelas bactérias que causam doenças em organismos. Elas sugam a energia de seus hospedeiros e são, portanto, consumidoras e heterótrofas.

  ____________________

02.14. [d]

I.(F) Somente as plantas 1 e 2 são autótrofos.

IV.(F) a lebre é herbívora e se alimenta da planta 1.

A lebre, para quem não conhece, é um animal muito parecido com o coelho. Ela e o coelho são membros da ordem dos Lagomorfos e se diferenciam dos roedores por terem quatro dentes incisivos na mandíbula.

  ____________________

02.15. 28(04, 08, 16)

01.(F) A energia não se perde no interior dos seres vivos, ela se dissipa para o exterior na forma de calor;

02.(F) A energia retorna ao ambiente na forma de calor perdido por todos os seres vivos da cadeia, inclusive dos próprios decompositores.

  ____________________

02.16. [b]

I.(V) Como a energia diminui ao longo da cadeia, é de se esperar que os últimos níveis são aqueles que apresentam os menores índices de energia. Alguns poderiam pensar que o decompositor estaria no último nível, mas não tão simples assim. O decompositor tem uma posição muito variada e difícil de definir. Quando o decompositor atua em vegetais mortos, ele  tem acesso ao primeiro nível trófico. Quando decompõem  os herbívoros, está atuando no segundo nível trófico.  Qual o nível do decompositor, afinal?

III.(F) A bioacumulação é sempre maior nos últimos elos da cadeia alimentar, ou seja, nos carnívoros superiores representados por 3. Os decompositores representam uma ideia muito geral. Existem muitos tipos de decompositores. Alguns são fungos e bactérias que decompõem apenas restos vegetais mortos, o que significa dizer que apresentariam baixos índices de concentração de poluentes.  Muitos decompositores são apenas bactérias que apresentam ciclos vitais muito curtos (20 minutos de vida). Não apresentam, portanto, contaminação significativa.

 

V.(F) os fatores abióticos citados afetam principalmente os vegetais e os animais, uma vez que estes seres vivos são mais sensíveis às mudanças de luz, CO2, O2 e sais minerais.

O erro está nos decompositores, uma vez que não são os principais afetados. 

 ____________________

02.17. [e]

Com menos algas do fitoplâncton ocorrerá menos fotossíntese e, consequente, menor liberação de gás oxigênio na água.

Com menos oxigênio, os animais aeróbios serão afetados e terão sua biomassa significativamente reduzida.

  ____________________

02.18. [a]

I.(F) Cuidado que trata-se de uma pegadinha sacana esta parada.

É verdade que a redução de produtores se dá por um incremento (aumento) de herbívoros do zooplâncton que comem as algas produtoras. Com mais comedores de algas, menos algas no ambiente.

Estes herbívoros que comem as algas são CONSUMIDORES DE PRIMEIRA ORDEM ou consumidores primários. Tipo a vaca que é a herbívora do capim.

A pegadinha está quando o teste fala que os herbívoros estão sendo predados pelos consumidores de primeira ordem. Ora, o herbívoro é um CONSUMIDORES DE PRIMEIRA ORDEM e eles não estão comendo a eles mesmos, senão seriam carnívoros canibais deles mesmos! Os herbívoros são os verdadeiros consumidores de primeira ordem e não os predadores, como afirmado.

II.(V).

III.(F) Trata-se do contrário do que é afirmado, isto é, houve aumento de biomassa, o que torna a água mais turva, mais cheia de partículas, mais opaca, o que, por sua vez, dificulta a penetração de luz afetando a fotossíntese e a produção de matéria orgânica na base das cadeias alimentares (compare as imagens A e B)

IV.(V) Efeito CASCATA ocorre quando uma alteração em um nível afeta todos os níveis na sequência. Trata-se de uma analogia como uma cascata lá na natureza. A água vem escorrendo pela montanha por força da gravidade e alterando todos os degraus das quedas d’água a sua frente.

Na situação B, o peixe do topo da cadeia no quarto nível, faz diminuir a população de criaturas do terceiro nível. Com a redução do terceiro nível, haverá menos ataque ao segundo nível que, por sua vez, tende a crescer em número, uma vez que tem menos predadores agora. Com mais criaturas do segundo nível comendo, a tendência é uma redução das criaturas do primeiro nível. Assim, a presença predador do quarto nível afeta todos os demais níveis em CASCATA. Já a falta do predador do quarto nível na situação A afeta de outra forma todos os demais níveis em CASCATA.

Quando comparamos com a situação, percebemos o impacto que os peixes piscívoros exercem na cadeia alimentar.

19 Comentários até ao momento.

  1. Bruno disse:

    Olá professor, creio que na correção da questão 2.05 a imagem esteja errada, pois o senhor colocou as gaivotas como consumidores terciários, sendo que elas são secundários.

  2. Lüders disse:

    Professor, os organismos decompositores participam dos níveis tróficos? Em uma questão que propõem a análise dos níveis tróficos, como a 02.05, em qual nível trófico ele ficaria? Depende do caminho analisado?

    • Ricardo Gaúcho disse:

      Olá

      Exatamente! … o nível trófico ou nível de energia vai depender da situação … quando o decompositor decompõe o capim, ele estaria no segundo nível de energia … quando decompõe o gafanhoto que come o capim estaria no terceiro nível e assim por diante.

      Abraçãozãobão!!!!!!

  3. Bruno disse:

    Professor, na explicação da questao 02.11 você nao citou o ser humano, ele nao é levado em consideração? Sendo onivoro ele não poderia ser considerado também um consumidor primário?

    • Ricardo Gaúcho disse:

      O homem é também primário, porém, não há alternativa de resposta que contemple esta possibilidade. Por isso não comentei.
      O teu comentário faz todo sentido, sinal que tu estás ligado mesmo no assunto…. Parabéns!!

      abraçãozãobão!!!!

  4. Mariana disse:

    Professor, comparando a afirmativa III do ex 02.09 e a letra a do ex 02.12 fiquei um pouco confusa.. então é correto dizer que o fluxo de energia em uma cadeia alimentar é sempre unidirecional mas o fluxo de matéria não?

    • Ricardo Gaúcho disse:

      Oi, Mariana

      Não entendi tua dúvida.

      O item III da 02.09 está correto:
      “A transferência de ENERGIA na cadeia alimentar é unidirecional; tem início nos organismos produtores, passa para os consumidores e finaliza com os organismos decompositores.”
      A energia vai, mas não vem… fluxo UNIDIRECIONAL.

      A afirmativa “a” da 02.12 é FALSA:
      “O fluxo de energia e de MATÉRIA na cadeia alimentar é unidirecional.” Somente a ENERGIA é UNIDIRECIONAL, a MATÉRIA, não. A MATÉRIA apresenta um ciclo que vai e vem, isto é, a MATÉRIA pode ser reutilizada indefinidamente.

      Pense novamente e diga o que vem à mente.

      abraçãozãobão

  5. Guilherme disse:

    Professor, eu sei q é meio bobo, mas porque que mesmo a energia diminuindo a cada nível trófico comer 1Kg de carne da mais energia do q comer 1Kg de alface?

  6. Daniel disse:

    Gaúcho, melhor professor!

  7. Mikaella disse:

    Professor, na 02.18 o senhor explicou pq a I e a III são falsas e não explicou pq as outras duas são verdadeiras. A alternativa II eu entendi, mas a IV não, você poderia me explicar? Como assim efeito cascata?

  8. John disse:

    Professor, na questão 02.16 sobre a afirmativa I, por que o decompositor não é o que recebe a menor quantidade de energia e sim o consumidor 3?

Deixe o seu comentário


Tema traduzido por Wordpress Total.