Extensivo – Aula 30

Publicado por Ricardo Gaúcho Em 29 outubro 2012 Sem Comentários
Tech tipsComputer Tricks

Aula 30 – Doenças Virais e Bacterianas – I

30.01. (A)


30.02. (D)

a)(F) Mastócitos: células do tecido conjuntivo situadas próximas aos vasos sangüíneos onde podem liberar no sangue duas importantes substâncias: a heparina, um poderoso anticoagulante, e a histamina, substância vasodilatadora que aumenta o fluxo de sangue em uma determinada região do corpo, como, por exemplo, a área circunvizinha a uma picada de inseto.

b)(F) Células que tem papel central nas alergias são os mastócitos, uma vez que produzem a histamina que leva ao processo de vasodilatação.

Macrófagos: são células que migram do sangue para realizarem a defesa do tecido conjuntivo frouxo através da fagocitose de microorganismos.

c)(F) Fibroblastos (blastos = células jovens): são células do tecido conjuntivo responsáveis pela produção das fibras e  substância amorfa. Não são células de defesa e não apresentam, portanto, função fagocitária.

d)(V)

30.03. (E)

A vacina não mata nenhum microorganismo (antígeno). A vacina estimula a produção de anticorpos que, por sua vez, podem matar ou neutralizar os antígenos.

30.04. (B)

a)(F) Não existe vacina contra verminoses.

b)(V) Tétano e Difteria – vacina tríplice; Poliomielite – vacina Sabin.

c)(F) Não existe vacina contra verminoses.

d)(F) Não existe vacina contra a protozoonose do mal de Chagas.

e)(F) Não existe vacina contra verminoses.

30.05. (C)

O mastócito é uma célula do tecido conjuntivo responsável em produzir a histamina e a heparina. A histamina tem ação vasodilatadora desencadeando o processo de alergia. Ver comentário do teste 30.16.

30.06. OPS… ERRO DE GABARITO

correto (D)

III-(F) Os anticorpos não são células e sim proteínas da classe gamaglobulinas (imunoglobulinas).

30.07. (B)

O enunciado deixa claro que os camundongos resistentes ao parasita apresentavam quantidades significativas de IFN. Ora, se inocularmos anticorpos anti-IFN nos camundongos resistentes, esses anticorpos irão destruir o IFN que garante a imunidade para o camundongo. Sem o anticorpo IFN, portanto, o camundongo ficará suscetível a ação do parasita e poderá morrer.

30.08. OPS… ERRO DE GABARITO

correto (0, 1 e 2 apenas)


3-3)(F) Quem libera a histamina são os Mastócitos. Ver comentário da alternativa B do teste 30.02. Ver esquema da solução do teste 30.11.

4-4)(F) Somente os linfócitos T originam-se no Timo, daí seu nome linfócito T de timo.

30.09. (E)

  • A pele é uma barreira inespecífica contra uma série de invasores (antígenos). Ver comentário do item 04 do teste 30.17.

  • Na medida em que parte da pele é perdida, este efeito protetor de barreira está comprometido e muitos antígenos diferentes podem penetrar para o interior do corpo.

  • Com a entrada de antígenos, o sistema imune se sensibiliza e passa a produzir anticorpos.

  • Os anticorpos são produzidos pelos plasmócitos.

  • Ver esquema da solução do teste 30.08.

30.10. (C)

I-(V)

  • A histamina, produzida pelos mastócitos, age produzindo dilatação nos vasos sanguíneos.

  • Quando a alergia acontece no sangue, ocorrerá liberação generalizada de histamina ao longo dos vasos sanguíneos do corpo. Ver comentário do teste 30.16

  • A liberação excessiva de histamina provocará uma vasodilatação generalizada no organismo, o que caracteriza o choque anafilático. Ver esquema da solução do teste 30.11

II-(V) Ver esquema da solução do teste 30.08.

III-(V)


30.11. (A)


30.12. (D)

As células do órgão transplantado podem ser reconhecidas pelo sistema imunológico como invasores (antígenos). Uma vez que isto aconteça, o sistema imune passa a produzir anticorpos contra as células do órgão transplantado e este órgão será severamente atacado, caracterizando a rejeição.

30.13. (A)

a)(V) “A base de funcionamento desta vacina anticorpo…”. O enunciado afirma que o tratamento consta da inoculação de um anticorpo que combina-se com a nicotina impedindo que ela se ligue em receptores específicos no sistema nervoso.

Uma vez que não foi o organismo da pessoa que produziu os tais anticorpos — ele foi inoculado e não há registro em sua memória imunológica — o sistema imune pode rejeitar esta substância da mesma forma que rejeita um antígeno qualquer e passa a reagir contra ela, o que explica os sintomas citados.

b)(F) Nicotina e anticorpo são moléculas e não vírus.

c)(F) Antes de receber o tal anticorpo a pessoa já fumava e portava nicotina no organismo, no entanto, ela não apresentava os sintomas descritos, o que prova não ser a nicotina a causa de tais alterações descritas no enunciado.

d)(F) A nicotina não produz sintomas de gripe. Pense nos milhões de pessoas que fumam por aí… Elas apresentam sintomas de gripe pelo fato de terem nicotina no corpo? Não.

e)(F) Anticorpo e nicotina são moléculas que não têm relação direta com aumento do número de vírus infectantes de um organismo.


30.14.

(01)(V) Muitos tratamentos de doenças podem levar, como efeito colateral, a um enfraquecimento do sistema imunológico do paciente. Quimioterapia, por exemplo, pode reduzir muito a capacidade de o sistema imunológico reagir. Assim, microorganismos oportunistas podem se beneficiar da debilidade imunológica e se manifestarem.

(02)(V) Condições inadequadas de saneamento podem contribuir para a transmissão de uma série de doenças como verminoses, protozoonoses, bacterioses como cólera e febre tifóide, por exemplo e viroses como a hepatite.

(04)(F) Na medida em que se compreende melhor o ciclo de vida dos patógenos, o combate se torna mais eficaz.

(08)(F) As campanhas de vacinação reduzem os riscos de surgimento de doenças, uma vez que as vacinas atuam como profilaxia (prevenção).

(16)(V) O desmatamento reduz o habitat de uma série de organismos causadores de doenças bem como de vetores de outras doenças. Um exemplo é o mosquito transmissor da febre amarela. Na medida em que as florestas são destruídas, estes mosquitos acabam ocupando ambientes urbanos e disseminando a doença. O mesmo pode ser dito do mosquito da dengue e do barbeiro, vetor da protozoonose do mal de Chagas.

(32)(V) O declínio dos padrões de qualidade de vida pode se refletir numa alimentação deficiente e num conseqüente enfraquecimento do sistema imunológico. Podemos associar também o declínio dos padrões de qualidade de vida com saneamento deficiente e um correspondente aumento na transmissão de uma série de patógenos.

30.15.

(32)(F) Não se esqueça que as doenças podem ser prevenidas e combatidas através de processos educativos. Na medida em que as pessoas têm informações adequadas elas desenvolvem hábitos higiênicos e saudáveis bem como interagem de forma equilibrada com o meio ambiente. Ver comentários do item 16 no teste 30.16.

(64)(F) A tecnologia moderna poderá resolver TODOS, TODOS, TODOS, mas, TODOS os problemas relativos à saúde???!!!

30.16. (C)

1. No contato com o alergeno (substância que desencadeia a alergia) os mastócitos liberam a histamina, o que leva à vasodilatação dos vasos sanguíneos próximos a área de contato.

2 e 3. Com a vasodilatação ocorrerá saída de grandes quantidades de plasma sanguíneo (representado pelas setas amarelas da figura acima). A saída de grandes quantidades de plasma implica num menor volume de sangue nos vasos e numa menor pressão arterial, o que, por sua vez, dificulta a circulação do sangue e o fornecimento de oxigênio para os tecidos.

30.17.

(01)(V)

(02)(V)

(04)(V) Barreiras inespecíficas são barreiras que agem de forma a impedir a entrada de antígenos de uma forma geral. A pele, por exemplo, impede a entrada de uma série de substâncias químicas, microorganismos e objetos que poderiam ser prejudiciais a saúde. O suco gástrico tem uma ação levemente bactericida matando inespecificamente uma série de microorganismos potencialmente patogênicos. A cera encontrada na orelha externa tem efeito inespecífico semelhante. O muco encontrado no revestimento interno da traquéia age também inespecificamente, na medida em que impede a passagem de vários agentes patogênicos para a corrente sanguínea.

(08)(V)

(16)(V) Ver esquema do item 02 deste teste

(32)(V) Com a vasodilatação, um maior volume de sangue circulará nos vasos sanguíneos da região afetada. Com mais sangue circulando, mais calor presente neste sangue será irradiado na região. A vasodilatação também aumento o tamanho dos poros dos vasos sanguíneos, o que facilita a diapedese (saída de células de defesa do sangue para os tecidos – ver figura da solução do teste 30.11).

30.19. (C)

c)(F) Os linfócitos B transforma-se em plasmócitos quando recebem instruções das interleucinas produzidas pelos linfócitos T. Ver esquema do item 01 do teste 30.17

Deixe o seu comentário


Tema traduzido por Wordpress Total.