Extensivo – Aula 27

Publicado por Ricardo Gaúcho Em 29 outubro 2012 Sem Comentários
Tech tipsComputer Tricks

Aula 27 – Órgãos dos Sentidos – I

27.02. (C)

A pupila é a abertura que aumenta ou diminui de acordo com a intensidade luminosa que atinge o olho. Essa estrutura é equivalente ao diafragma das máquinas fotográficas convencionais.

27.04. (A)

A rodopsina é uma proteína produzida e utilizada pela retina para a percepção dos raios luminosos. Quando atingida pela luz esta substância libera elétrons que ativam os neurônios sensores. A vitamina A (retinol) participa na formação da rodopsina, o que explica o quadro de cegueira noturna em indivíduos que apresentam carência desta vitamina. Quanto menos retinol (vitamina A), menos rodopsina. Quanto menos rodopsina, menor será a sensibilidade da retina à luz.

27.05. (D)

A espessura do cristalino aumenta ou diminui em função de atividade de músculos no interior do globo ocular. O objetivo dessa mudança de espessura do cristalino é a focalização da imagem na retina. Assim, quando olhamos para objetos próximos, a musculatura ao redor do cristalino se contrai aumentando sua espessura e focalizando o objeto na retina. A contração contínua e repetida desta musculatura acaba gerando uma sensação de cansaço na região do globo ocular. Por isso, por exemplo, que sentimos dor nos olhos quando lemos um texto com palavras muito pequenas.

27.06. (B)

I-(V) A córnea é a primeira estrutura do olho que a luz atravessa para chegar ao seu interior.

II-(V)

III-(F) O cristalino é uma lente BICONVEXA. Lembre que lente côncava é aquela em que se CAVA … CAVA … CAVA e fica um buraco CAVADO nela. Biconvexo é o contrário.

IV-(F) Quando olhamos para longe nossos olhos descansam. Isso acontece porque a musculatura interna do olho RELAXA o que, por sua vez, permite que o cristalino volte a sua espessura mais fina natural. Ver comentário do teste 27.05.

27.07. (C)

Os humores do olho, aquoso e vítreo, muitas vezes nos confundem. Na dúvida lembre que eles estão em ordem alfabética de fora para dentro. Primeiro o humor aquoso, depois o humor vítreo.

27.08. (D)

Os cones, neurônios que percebem as cores, são menos sensíveis à luz que os bastonetes. Lembre de quando nos acordamos no meio da noite, na penumbra escura do quarto vemos nossa mochila, o armário, uma jaqueta no chão. Tudo o que vemos, porém, está em tons de cinza, não percebemos cor quando existe pouca luz. Assim, para que um cone seja ativado, é necessária uma iluminação. Animais de hábitos noturnos apresentam POUCOS cones, uma vez que os cones não apresentam função de destaque em ambientes de pouco iluminados.

c) Frugívoro é o animal cuja dieta alimentar é composta principalmente de frutos.

27.09. (E)

a)(F) Ao passarem pelo cristalino, os raios de luz CONVERGEM e não divergem como afirmado.

b)(F) O aumento de luminosidade implica numa CONTRAÇÃO da pupila para que não entre luz excessiva e não em uma abertura, conforme afirmado no teste.

c)(F) Lembre que os bastonetes são neurônios da retina associados à visão em preto e branco. O daltônico possui bastonetes normalmente. O problema do daltônico pode estar nos cones — os neurônios da retina ligados à visão colorida.

d)(F) O cristalino é uma lente CONVERGENTE (ver figura apresentada na alternativa “A”.

e)(V) Os diferentes comprimentos de onda correspondem  às diferentes cores que o olho é capaz de perceber.

27.10. (A)

A figura apresenta o cristalino convergindo os raios luminosos exatamente em cima da retina, o que, por sua vez, implica uma imagem corretamente focalizada na retina.

C, D e E estão erradas, uma vez que a pupila é apenas uma abertura por onde a luz passa para atravessar o cristalino. Como espaço aberto, a pupila não produz nenhuma convergência nem efeito nos raios luminosos que entram no olho.


27.11. (C)

Eixo antero-posterior é o eixo que une uma extremidade a outra do olho.

Observe que, quando o eixo antero-posterior se alonga o olho fica com um tamanho maior e o foco se formará antes da retina, caracterizando a miopia. Pense no projetor de slides de sua sala. Ele está na distância exata para que o foco fique perfeitamente ajustado na tela do quadro. Caso a sala aumente de tamanho, o projetor irá recuar em relação a tela e a imagem ficará fora de foco.

27.12. (D)

Catarata pode ser resumida como a perda da transparência do cristalino.

27.13. (C)

Quando ficamos muito tempo olhando para um objeto pequeno e próximo, nossos olhos parecem que cansam. O fato é que, para olharmos para objetos próximos, a musculatura interna do olho se contrai para aumentar a espessura do cristalino e focalizar a imagem de forma adequada sobre a retina. Quando olhamos para objetos distantes no horizonte, nossa musculatura interna do olho relaxa para deixar o cristalino mais fino e focalizar objetos distantes. A sensação que temos é de relaxamento e alívio, pois, de fato, a musculatura do olho relaxa mesmo.


27.14. (C)

Lentes divergentes divergem os raios e fazem o foco ficar mais longe. Na miopia, o foco se dá antes da retina. As lentes divergentes afastam o foco, fazendo com que fique em cima da retina.

27.15.

(01)(V) A esclerótica (a parte branca do olho – a conjuntiva) fica muito fina na parte frontal do olho sobre a região da íris. Ela fica tão fina que se torna transparente, constituindo a córnea.

(02)(V) A íris é o disco colorido logo abaixo da córnea. Ela se contrai aumentando ou diminuído a abertura da pupila, de acordo com a quantidade de luz que incide sobre o olho.

(04)(F) Variações na transparência do cristalino alteram a qualidade da luz que chega na retina. Pense no caso da catarata, que é a perda gradativa da transparência do cristalino. Ver comentário dos testes 27.12 e 27.13.

(08)(F) Bastonete – visão em preto e branco.

(16)(F) A fóvea ou mácula é o ponto mais sensível à luz que existe na retina. Quando a imagem é focalizada sobre essa região tem-se a maior nitidez possível de imagem. Assim, tudo que vemos em detalhes, vemos com a fóvea ou mácula.

27.16. (B)

b) Presbiopia – Também conhecida como vistas cansada. Ocorre com a idade, na medida em que o cristalino vai endurecendo e perdendo sua capacidade de mudar de espessura e fazer variar o foco da imagem sobre a retina. (Ver comentário do teste 27.13)

Quando o foco se dá antes da retina temos a miopia e não a presbiopia.

27.17.

(01)(V) Através da lente a luz entra na máquina e é focalizada no sensor ou no filme fotográfico. A córnea é o meio por onde a luz entra no olho humano e o cristalino focaliza a imagem na retina.

(02)(V)

(04)(F) O cristalino é transparente e incolor. A cor referida no teste diz respeito à íris.

(08)(V) Veja comentário do teste 27.11.

(16)(F) A esclerótica corresponde ao “branco do olho”. Os cones são neurônios localizados na retina (camada fotossensível que reveste interiormente o globo ocular).

27.18.

(01)(V)

(02)(V)

(04)(F) A rodopsina é uma substância fotossensível produzida com a participação da vitamina A na retina e não no cristalino e íris.

(08)(F) A catarata é a perda da transparência do cristalino e não da córnea.

(16)(F) O nervo ótico transmite sinais elétricos produzidos na retina que é tecido nervoso e não na córnea que é apenas transparente e feita de tecido conjuntivo.

(32)(F) O glaucoma é resultado do aumento da pressão do humor vítreo e não do humor aquoso que está situado entre a córnea e o cristalino.

Deixe o seu comentário


Tema traduzido por Wordpress Total.