Extensivo – Aula 26

Publicado por Ricardo Gaúcho Em 29 outubro 2012 Sem Comentários
Tech tipsComputer Tricks

Aula 26 – Fisiologia em testes

26.01. (C)


O amido começa a ser digerido na boca por ação da amilase salivar (ptialina) onde será convertido no dissacarídeo maltose. Posteriormente, no intestino delgado, parte do amido que não foi pré-digerido pela ptialina, sofrerá ação da amilase pancreática presente no suco pancreático. Ainda no intestino, temos a ação da maltase, enzima que atacará a maltose formando, finalmente, a glicose que será absorvida para a corrente sanguínea.

26.02. (C)

a)(F) A digestão química dos alimentos depende de uma série de reações químicas que, por sua vez, dependem da ação de enzimas específicas que catalisam estes processos. A ação das enzimas digestivas, no entanto, ocorrem por hidrólise e não por descarboxilação.

b)(F) A alta concentração de íons hidrogênio (H+) determina a grande acidez do ambiente. No tubo digestivo, o intestino se caracteriza por seu pH alcalino (básico) enquanto que o estômago se caracteriza por seu pH bastante ácido. Assim, o intestino delgado se caracteriza por uma baixa concentração de íons hidrogênio (H+).

c)(V) O suco pancreático é rico em bicarbonato (sal  básico) que serve para neutralizar, no intestino, o pH ácido do material (quimo) que vem do estômago.

d)(F) O suco digestivo mais rico em enzimas e de maior poder de digestão e o suco pancreático (o suco pancreático tem poder!!!).

e)(F) As enzimas digestivas dos lisossomos agem por hidrólise, enquanto que as enzimas dos peroxissomos agem por oxidação.

26.03. 41 (01, 08, 32)

01- (V) O amido (carboidrato) começa a ser digerido na boca por ação da amilase salivar (ptialina) onde será convertido no dissacarídeo maltose.

É bom pra minha boquinha … é bom pra barriguinha … amido, proteína e gordura!!!

02- (V) Ops!!! ERRO DE GABARITO

INTOLERÂNCIA À LACTOSE

O que é? É a incapacidade de aproveitarmos a lactose, ingrediente característico do leite animal ou derivados (laticínios) que produz alterações abdominais, no mais das vezes, diarréia, que é mais evidente nas primeiras horas seguintes ao seu consumo.

Como se desenvolve? Na superfície mucosa do intestino delgado há células que produzem, estocam e liberam uma enzima digestiva (fermento) chamada lactase, responsável pela digestão da lactose. Quando esta é mal absorvida passa a ser fermentada pela flora intestinal, produzindo gás e ácidos orgânicos, o que resulta na assim chamada diarréia osmótica, com grande perda intestinal dos líquidos orgânicos.

Em qualquer época da vida pode aparecer esta incapacidade de produção ou uma inibição temporária, por exemplo, na seqüência de uma toxinfecção alimentar que trouxe dano à mucosa intestinal. Igualmente, a dificuldade pode advir de lesões intestinais crônicas como nas doenças de Crohn e de Whipple, doença celíaca, giardíase, AIDS, desnutrição e também pelas retiradas cirúrgicas de longos trechos do intestino (síndrome do intestino curto).

A concentração da lactase nas células intestinais é farta ao nascermos e vai decrescendo com a idade.

Nos EUA, um a cada quatro ou cinco adultos pode sofrer de algum grau de intolerância ao leite. Os descendentes brancos de europeus têm uma incidência menor de 25%, enquanto que na população de origem asiática o problema alcança 90%. Nos afro-americanos, nos índios e nos judeus, bem como nos mexicanos, a intolerância à lactose alcança níveis maiores que 50% dos indivíduos.

A renina é uma enzima estomacal que é produzida somente durante a infância enquanto o mamífero se alimente de leite. A renina age coagulando o leite (separando o leite em frações líquidas e sólidas) dentro do estômago.

04- (F) A pepsina é uma enzima do estômago e não do pâncreas.

08- (V)

16- (F) A colecistocinina ou colecistoquinina é um hormônio produzido pelo intestino delgado e não pelo estômago, conforme afirmado.

32- (V) Lembre que normalmente a terminação ase diz respeito a uma enzima. Assim:

maltase digere maltose

sacarase digere sacarose

lactase digere lactose


26.04. 1, 2, 4

0- (F) A anemia pode se desenvolver em qualquer idade e não especificamente na infância como é afirmado.

1- (V)

2- (V) Por que uma pessoa produziria aminoácidos que normalmente são obtidos por uma dieta farta e equilibrada?

Ela produziria aminoácidos em uma situação desesperada em que não houvesse aminoácidos disponíveis para síntese de proteínas necessárias ao corpo. O metabolismo de uma pessoa com desnutrição grave passa a produzir alguns aminoácidos (menos os aminoácidos essenciais) para tentar suprir a carência devido a dieta pobre.

3- (F) A carência de vitamina B1 leva a uma doença que afeta o sistema nervoso chamada de Beribéri. O escorbuto é causado pela carência do ácido ascórbico ou vitamina C.

4- (V)

26.05. (A)

I- (V)

II- (F) O canal colédoco transporta a bile que vem da vesícula biliar e não o suco pancreático que é transportado pelo chamado canal pancreático ou canal de Wirsung.

III- (V)

IV- (V)

26.06. 56 (08, 16, 32)

01- (F) O fígado armazena glicose na forma de glicogênio e não amido. O amido é a reserva de glicose dos vegetais.

02- (F) A insulina é produzida pelo pâncreas e não pelo fígado. Observe a figura do comentário anterior.

04- (F)  O fígado destrói hemáceas velhas. Quem produz hemáceas é o tecido hematopoiético. Observe a figura:

08- (V) A protrombina e o fibrinogênio são proteínas envolvidas com o processo de coagulação do sangue e são produzidas pelo fígado.

16- (V) Uma das funções do fígado é a retirada de certas toxinas da circulação sanguínea. Esta função também é conhecida como detoxificação hepática.

32- (V) A bile é produzida pelo fígado, armazenada na vesícula biliar e despejada no duodeno pelo canal colédoco.

26.07. (D)


26.08. 11 (01, 02, 08)

01- (V) Quando inspiramos, o volume pulmonar aumenta e os pulmões, dentro da caixa torácica, se dilatam. Com a dilatação dos pulmões, a pressão pulmonar diminui e fica menor que a pressão da atmosfera externa ao corpo. Uma vez que a pressão externa fica maior que a interna, o ar é empurrado para dentro dos pulmões.

Imagine-se dentro de uma seringa com a ponta da agulha lacrada com o dedo. Quando se puxa o êmbolo para fora, o volume interno da seringa aumenta. Lá dentro seremos esmagados ou descomprimidos pela pressão? Seremos descomprimidos, pois, a pressão fica menor à medida em que o êmbolo é puxado para fora. Este é o mesmo raciocínio para se compreender a entrada de ar nos pulmões.

02- (V) Quando expiramos o diafragma sobe e as costelas baixam comprimindo os pulmões. Na medida em que os pulmões são comprimidos, a pressão intrapulmonar fica maior que a pressão atmosférica, o que força o ar a sair da caixa torácica.

04- (F) Em locais de altitude elevada a pressão atmosférica é menor. Assim, com menor pressão, o ar fica mais rarefeito. Quanto mais rarefeito é o ar, menos moléculas de gases conseguimos a cada respirada. Desta forma, temos que encher muito muito muito a caixa torácica para conseguir a mesma quantidade de ar que conseguiríamos no nível do mar. Quanto maior o volume que conseguimos impor à caixa torácica maior será a diferença de pressão entre o interior e o exterior. Na medida em que a pressão externa fica maior que a interna, o ar é forçado para o interior dos pulmões.

08- (V) Quando mergulhamos em água profundas nosso corpo sofre uma pressão externa muito forte. Quanto mais fundo mais nosso corpo é “esmagado” pela pressão da água. Quanto mais pressionada é nossa caixa torácica, mais difícil vai ficando o processo de inspiração. Fica difícil dilatar o tórax, uma vez que a pressão da água se dá no sentido contrário. A solução é manter o ar da garrafa de mergulho em alta pressão, o que força a entrada de ar para o interior dos pulmões.

26.09. (A)

Veja os comentários dos itens do teste anterior.

26.10. 63 (01, 02, 04, 08, 16, 32)


26.11. (C)

a)(F) As veias são vagabooondas!!! A parede das veias é menos espessa que as das artérias.

b)(F) Quando o sangue passa pelos capilares ele perde parte de seu plasma para as células. Este plasma ocupa o espaço intercelular e será chamado de liquido intersticial. Lembre também que os glóbulos brancos podem sair da corrente sanguínea através do processo de diapedese.

c)(V) O bulbo controla todas as funções vitais como respiração, circulação, excreção etc.

d)(F) Lembre que a artéria pulmonar transporta sangue venoso do coração para o pulmão.

e)(F) O ventrículo esquerdo manda sangue para o corpo enquanto o ventrículo direito manda sangue para os pulmões. Desta forma, o ventrículo esquerdo faz mais força mandando sangue para longe do coração do que o ventrículo direito que manda sangue para perto (pulmões). O ventrículo esquerdo é, desta forma, mais musculoso que o direito.

26.12. (B)

IV- Na superfície externa do átrio direito do coração encontra-se uma rede de neurônio chamada nódulo sinoatrial. Esta estrutura nervosa está relacionada com o controle da frequência de batimentos cardíacos — o conhecido marcapasso cardíaco.

I- As artérias coronárias são vasos responsáveis pela nutrição do tecido cardíaco. Obstrução no fluxo de sangue destes vasos pode levar ao enfarto do miocárdio.

II- As válvulas são estruturas do sistema circulatório cuja função é impedir o refluxo de sangue. Como exemplos podemos citar as válvulas do coração (bicúspide ou mitral no lado esquerdo e tricúspide no lado direito), válvulas venosas (impedem o refluxo de sangue nas veias), válvulas das artérias aorta e pulmonar.

III- O líquido que extravasa dos capilares é o plasma. Dos capilares ele extravasa pelos poros e vai ocupar os espaços intercelulares dos tecidos próximos, constituindo o liquido intersticial. Posteriormente, este liquido intersticial será captado por um vaso linfático, constituindo-se na linfa.

26.13. (C)


26.14. (A)

Observe que em 2, 3 e 4 está circulando sangue venoso que apresenta a mesma concentração de oxigênio. Observe também que em 5 e 6 está circulando sangue arterial vindo dos pulmões que apresenta uma concentração de oxigênio igual entre si e maior que em 2, 3 e 4. Assim,

SAT4 = SAT3, a concentração de oxigênio no sangue que circula no ventrículo esquerdo (3) é igual a concentração de oxigênio no sangue que circula na artéria pulmonar (4). Afinal, o sangue que passa em 4 (artéria pulmonar) é o mesmo que passou em 3 (ventrículo direito).

SAT6 = SAT5 — a concentração de oxigênio no sangue que circula no ventrículo esquerdo (6) é igual a concentração de oxigênio no sangue que circulou no átrio esquerdo (5), afinal, o sangue que está no ventrículo esquerdo (6) é o mesmo que acabou de passar pelo átrio esquerdo (5).

SAT6 = SAT5 > SAT4 = SAT3 — em 6 e 5 tem menos oxigênio (sangue venoso) que em 5 e 6 (sangue arterial).

26.15. (D)

O sangue que sobe pelas veias das pernas, membros inferiores, enfrenta dois problemas: sobe contra a gravidade e encontra baixa pressão nas veias para impulsioná-lo para cima. Para resolver este tipo de problema, as veias maiores ficam instaladas entre os grandes músculos esqueléticos, conforme apresentado na figura. Na medida em que a pessoa se exercita, a musculatura se contrai e acaba “espremendo” as veias. Com a contração muscular durante o exercício físico o sangue é empurrado para baixo e para cima dentro das veias. Para baixo, no entanto, ele não consegue descer, uma vez que as válvulas se fecham e impedem o refluxo de sangue. Assim, o sangue acaba subindo pelas pernas e forçando o sangue de cima a subir também. Com a prática regular de exercício físicos o sistema circulatório é estimulado e o sangue passa a fluir melhor pelos diferentes vasos sanguíneos do corpo. Interprete o texto que você acabou de ler analisando a figura e visualizando os movimentos de contração muscular, fechamento das válvulas e subida do sangue.

26.16. (B)

Quando ocorre um aumento da concentração osmótica do plasma sanguíneo o sangue fica mais concentrado, mais gosmento, mais denso. Precisa urgente de água para diluí-lo e restabelecer a concentração plasmática ideal. Esta água pode vir do processo de reabsorção que acontece nos túbulos do néfron mediante controle do hormônio ADH (vasopressina). O ADH é produzido pelo hipotálamo, armazenado e liberado no sangue pela hipófise.  Assim, em casos de desidratação  acentuada é de se esperar uma maior concentração do sangue, uma maior liberação de ADH, uma maior absorção de água da urina pelos túbulos renais.

26.17. (E)

e)(V) O hormônio ligado ao controle de sódio (Na+) é a aldosterona produzido pelas glândulas suprarenais.

a)(F) Vasopressina é o mesmo hormônio ADH produzido pelo hipotálamo, armazenado e liberado no sangue pela hipófise. O ADH estimula a reabsorção de água para o sangue nos túbulos renais (ADH… tira água do mijo para o sangue!!!)

b)(F) Calcitriol é um sinônimo da vitamina D, o calciferol que age nos intestinos controlando a absorção de cálcio.

c)(F)

d)(F)

26.18. (A)

Independente das concentrações apresentadas no enunciado que, aliás, somente servem para confundir o aluno, a pessoa em questão acabaria morrendo de qualquer forma se comesse a carne de peixe crua. Num primeiro momento até poderia parecer que ela levaria vantagem comendo a carne crua do peixe. Afinal, na carne crua existe uma quantidade relativamente grande de água. Porém, ao comer esta carne para tentar obter um pouco de água, a pessoa estaria ingerindo também grandes quantidades de proteínas e sal. O metabolismo de proteínas resulta em amônia que é muito tóxica e exige muita água pela expulsá-la do corpo. O fígado, por sua vez, converte esta amônia tóxica em uréia. Mesmo assim, no entanto, a pessoa precisaria de uma dose adicional de água para eliminar esta uréia. Ou seja, se uma pessoa sem a possibilidade de beber água comer algo, a concentração de seu sangue irá aumentar e ela precisará de um volume de água maior que se não tivesse comido. Sem água para beber o negócio é não comer nada. Quanto mais proteína a pessoa comer, mais água ela precisará para se purificar das toxinas produzidas pelo metabolismo de proteínas.

26.19. (C)

26.20. (B)

Pense um pouco no enunciado: Um animal que tivesse a necessidade de impedir a diluição acentuada dos líquidos corporais é um animal que apresenta uma enorme quantidade de água no seu interior. Ele tem tanta água, que corre o risco de ter seu interior excessivamente diluído, o que não é nada bom, afinal, a concentração de um organismos deve ser exata, nem mais, nem menos. Ora, se ele tem tanta água assim, ele deve expulsá-la em grande quantidade, isto é, deve mijar o máximo possível. A urina, por sua vez, se forma a partir da urina primária (plasma sem proteína) que se forma no glomérulo renal. Desta forma, quanto maior o glomérulo maior a quantidade de água a ser eliminada do corpo, especialmente de um animal que tem excesso de água, como é o caso descrito neste teste.

Pense no raciocínio contrário. Um animal do deserto deve economizar ao máximo sua água corporal. Assim, um animal do deserto apresenta um glomérulo pequeno, para, assim, formar o mínimo possível de urina e perder o mínimo possível de água.

Deixe o seu comentário


Tema traduzido por Wordpress Total.