Extensivo – Aula 25

Publicado por Ricardo Gaúcho Em 29 outubro 2012 Sem Comentários
Tech tipsComputer Tricks

Aula 25 – Sistema Excretor nos Diversos Seres Vivos

25.01. (A)

(ADH TIRA ÁGUA DO MIJO PRO SANGUE… ALDOSTERONA TIRA SÓDIO DO MIJO PRO SANGUE!!!)

O ADH é um hormônio produzido pelo hipotálamo e armazenado na hipófise. Quando os níveis de hidratação do corpo diminuem, a hipófise libera este hormônio no sangue. Ele age no néfron promovendo a reabsorção da água da urina para o sangue. Assim, quando o suprimento de água for excessivo, haverá uma redução de ADH na corrente sanguínea. Com isso, o rim reabsorve menos água e o volume de urina formado se torna maior.

O ADH é secretada pela neuroipófise (porção posterior da hipófise), mas é produzida por células nervosas do hipotálamo que estendem seus axônios até a neuroipófise.

O álcool (do consumo de bebidas alcoólicas) suprime a produção do ADH, aumentando a diurese.

25.02. (E)

Osmorregulação é a capacidade que alguns animais possuem em manter a pressão osmótica constante independentemente da do meio externo, dentro de uma determinada faixa de variação.

I-(V) Observe que os peixes ósseos marinhos vivem em um ambiente hipertônico em relação às células de seu corpo. A tendência é que sua pele perca água para o mar através devido ao processo de osmose (passagem da água do meio menos para o meio mais concentrado). Assim, os peixes ósseos marinhos estão constantemente sofrendo desidratação. Para compensar esta perda, seu metabolismo funciona da seguinte forma:

1. Bebem muita água para compensar as perdas por osmose para o mar.

2. Produzem pouca urina para reduzir a perda de água que já é grande por osmose para o mar.

3. A células das brânquias eliminam por transporte ativo os excessos de sais minerais da água bebida.

Observe o esquema:

II- (V)

III-(V)

25.03. (B)

Os peixes de água doce são hipertônicos em relação ao rio ou lago, isto é, sua concentração interna é maior que a concentração externa. Desta forma, a tendência é a água do rio entrar por osmose para os tecidos do animal. Na medida em que a água entra por osmose para o interior do peixe, seus líquidos internos sofrem excessiva diluição, o que, por sua vez não é nada bom para o equilíbrio osmótico. Para compensar esta entrada excessiva de água os peixes de dulcícolas:

1. Quase não bebem água.

2. Urinam grandes quantidades de água.

3. Apresentam glomérulos renais grandes para eliminar mais liquido do sangue.

4. Absorvem sais minerais por transporte ativo nas brânquias a fim de compensar a perda de sais pelo excesso de urina que eliminam.

25.04. (A)

25.05. (C)

Quando em água doce, o salmão se comporta como um peixe normal em água doce. É mais concentrado que o ambiente e, portanto, absorve água por osmose do ambiente. O excesso de água é eliminado pela urina abundante e pouco concentrada de sais minerais. Ver esquema e explicação do comentário do teste 25.03.

25.06. (E)

a)(F) As amebas são protozoários eucariontes. Os eucariontes são organismos que se caracterizam pela presença de um núcleo celular individualizado. Assim, não existe a hipótese de uma ameba marinha não ter núcleo.

b)(F) O nucléolo é uma estrutura do núcleo.

c)(F) Pseudópodos são deformações da membrana plasmática que servem tanto para locomoção como fagocitose de partículas. As amebas se caracterizam por apresentarem pseudópodos.

d)(F) O vacúolo digestivo se forma logo após a fagocitose de uma partícula. Isto, ocorre tanto em protozoários marinhos como nos de água doce (dulcícola). Observe o esquema:

e)(V) Os vacúolos contráteis são estruturas responsáveis em eliminar os excesso de água do interior dos protozoários de água doce. Já os protozoário marinhos são isotônicos em relação ao mar. Assim, não entra e nem sai água por osmose de sua célula. As amebas marinhas não apresentam, portanto, vacúolos contráteis.

25.07. (B) Ops!!! ERRO DE GABARITO!!!

a)(F) Pressão osmótica é a pressão que deve ser aplicada à solução para impedir a passagem do solvente através da membrana semipermeável. Assim, quanto mais concentrado está um ambiente, maior é a tendência de entrada de água pelo fenômeno da osmose.

Na medida em que uma pessoa ingere baixa quantidade de água espera-se:

  1. Aumento da concentração do sangue — o sangue fica mais gosmento, mais viscoso, mais melequento!!!

  2. A pressão osmótica do sangue AUMENTA.

  3. A tendência de a água entrar por osmose para a corrente sanguínea aumenta.

b)(V) A baixa ingestão de água implica em dizer que o organismo deve economizar ao máximo a água corporal. Assim, ele deve eliminar pela urina o mínimo de água possível a fim de garantir a sobrevivência por mais tempo. A hipófise vai liberar mais hormônio ADH (antidiurético). Com mais ADH na circulação, as paredes do tubo do néfron ficam mais permeáveis à água. Com isto, mais água sai da urina primária para o sangue.

c)(F) Ver comentário anterior.

d)(F) Haverá uma redução na liberação de aldosterona. Lembre que a aldosterona é um hormônio liberado pelas glândulas supra-renais e age promovendo a reabsorção do sódio para o sangue (ADH TIRA ÁGUA DO MIJO PRO SANGUE… ALDOSTERONA TIRA SÓDIO DO MIJO PRO SANGUE!!!).

Assim, na medida em que a pessoa ingere pouca água a concentração de sódio aumenta demais no sangue, o que não é nada bom, pois quanto mais concentrado estiver o sangue mais água será necessário para fazer sua diluição. Quando a concentração de sódio fica alta no sangue como, por exemplo, quando comemos uma churrascada daquelas, os níveis de aldosterona diminuem para que o sódio não seja reabsorvido dos túbulos renais para o sangue. Assim, o excesso de sódio sai pela urina e alivia a pressão osmótica sanguínea.

25.08. (C)

I-(F) Os mamíferos  são ureotélicos (excretam uréia) e as aves são uricotélicos (excretam ácido úrico).

25.09. (E)

1. Ingere-se água do mar com sais minerais.

2. Os sais serão absorvidos para o sangue e o sangue fica concentrado (salgado).

3. Os tecidos perdem água por osmose para o sangue a fim de diluí-lo.

4. A água que sai dos tecidos por osmose para diluir o sangue deixa estes tecidos mais concentrados.

5. O volume de água de sai dos tecidos entra na corrente sanguínea e faz aumentar o volume de sangue.

25.10. (E)

Observe que a água está saído do corpo do peixe para o exterior. Durante o processo de osmose a água passa do meio menos concentrado (hipotônico) para o meio mais concentrado (hipertônico). Esta saída de água do corpo do peixe indica que ele está no mar. Ver esquema do comentário do teste 25.02.

25.11. (B)


25.12. (B)

I-(V) Ver esquema do comentário do teste 25.02.

II-(V)

III-(F) Não se esqueça dos artrópodos aquáticos que têm muitas água a sua disposição e usam amônia como produto de excreção nitrogenada. Veja o quadro acima.

25.13.

(01)(V) Os protozoários marinhos são isotônicos em relação ao mar. Desta forma eles não precisam mecanismos de osmorregulação como os vacúolo pulsátil típico dos protozoários de água doce.

(02)(F) Protozoários marinhos não possuem vacúolo pulsátil. Ver comentário do item anterior.

(04)(V) Lembre que o mar é mais salgado que os tecidos do peixe. Assim, o sal é bombeado do meio menos concentrado para o meio mais concentrado. O sal é bombeado contra o gradiente de concentração, o que, por sua vez, envolve gasto de energia na forma de ATP mitocondrial (transporte ativo).

(08)(V) Ver esquema do comentário do teste 25.02.

(16)(V)

25.14. (A)

1. A redução no consumo de sal implica em dizer que o sangue da pessoa ficará menos salgado (concentrado).

2. Uma vez que o sangue está menos salgado não será preciso reter muita água no sangue.

3. Com tem água sobrando, a taxa de ADH diminui no sangue.

4. Com menos ADH haverá uma redução na absorção de água da urina para o sangue.

5. O sangue perde água.

6. Com a perda de água para urina, o volume de sangue diminui.

7. Com menos sangue haverá menos pressão na parede das artérias.

Observe o esquema abaixo que mostra exatamente o contrário do que a alternativa afirma.

25.15. (D)

Peixes teleósteos são os peixes ósseos.

Ver esquema do comentário do teste 25.02.

IV-(F)  Os peixes ósseos de água doce não bebem água, uma vez que ela está entrando por osmose pela superfície do corpo.

25.16. (C)

a)(F) Os peixes de água doce são amoniotélicos, uma vez que têm muita água disponível e podem se dar ao luxo de excretarem amônia que, apesar de tóxica, pode ser eliminada com bastante água.

b)(F) Amniotas são aqueles animais que apresentam âmnio ou bolsa amniótica, como anfíbios, répteis, aves e mamíferos. No entanto, nem todos os amniotas excretam amônia. Pense nos répteis, aves e mamíferos que utilizam ácido úrico ou uréia.

c)(V) Ver esquema do comentário do teste 25.12.

d)(F) Os peixes cartilaginosos excretam uréia e não amônia. Ver esquema no comentário do teste 25.13.

e)(F) A uréia é mais tóxica que o ácido úrico.

25.17. (C)

I-(F) O vacúolo pulsátil elimina apenas o excesso de água do interior do protozoário aquático. Outras formas de excreção vão se dar por transporte através da membrana plasmática.

II-(F) Os insetos economizam água utilizando ácido úrico e não amônia como excreta nitrogenada.

III-(F) B – Ureter. D – Uretra.

IV-(V)

V-(V)

25.18. (A)

Lembre que no fenômeno da osmose a água passa do meio menos concentrado para o meio mais concentrado.

O indivíduo A bebe água com concentração salina menor que a do seu organismo. Como a água passa do meio menos para o meio mais concentrado, esta água menos concentrada vai entrar por osmose para as células mais concentradas, aumentando o volume.

O indivíduo B bebe água salgada de mar — ele bebe água mais concentrada que suas células. Como a água passa do meio menos para o meio mais concentrado, as células menos concentradas do corpo vão perder água por osmose. Com isto, há uma redução no volume das células que perderam água por osmose.

Deixe o seu comentário


Tema traduzido por Wordpress Total.