Extensivo – Aula 22

Publicado por Ricardo Gaúcho Em 29 outubro 2012 Sem Comentários
Tech tipsComputer Tricks

Aula 22 – Sistema Circulatório – I

22.02. (E)

Quanto maior a altitude, menor é a pressão atmosférica. Quanto menor a pressão, mais rarefeito é o ar. Quanto mais rarefeito é o ar, menos moléculas de oxigênio por ar inspirado, o que explica a dificuldade respiratória enfrentada pelos atletas em grandes altitudes.

22.04. (A)

a)(V)

b) O espaço existente entre os pulmões ocupado pelo coração é chamado de mediastino.

c) O músculo que separa o tórax do abdômen é o diafragma.

d) Homeostase é a capacidade de auto-regulação. Quando comemos uma bala, por exemplo, o nível de glicose começa a aumentar no sangue. Em resposta a isso, o pâncreas libera insulina, hormônio que estimula o fígado a retirar o excesso de glicose da circulação. Se ficarmos em jejum por várias horas, o pâncreas libera o glucagon, hormônio que estimula o fígado a liberar glicose no sangue. Dessa forma, o corpo está se auto-regulando, isso é, está fazendo a tal homeostase.

e) Hemoglobina.

22.05. (A)

A equação representa o momento em que a hemoglobina captura o oxigênio durante a hematose. A hematose ocorre nos alvéolos pulmonares.

22.06. (A)

Nos alvéolos pulmonares ocorre a hematose. Neste processo, o sangue absorve o O2 e elimina o CO2 por difusão simples, uma forma de transporte passivo que ocorrem sem gasto de energia.

22.07. (A)

H2CO3 – ácido carbônico

A formação do ácido carbônico ocorre no citoplasma das hemáceas por ação da enzima anidrase carbônica que força o CO2 a reagir com a água. Posteriormente, o ácido carbônico sofre ionização e forma o HCO3 (bicarbonato) que se difunde pelo plasma sanguíneo.

22.08. (B)

I-(V) O diafragma é o principal músculo respiratório. Ele se contrai puxando os pulmões para baixo, o que contribui para o aumento do volume e maior absorção de ar.

II-(F) A traquéia apresenta uma constituição essencialmente cartilaginosa e não muscular, conforme é afirmado.

III-(V) O músculos intercostais se contraem puxando as costelas para baixo e pressionando os pulmões, o que, por sua vez, expulsa o ar para o exterior do corpo.

IV-(V) O oxigênio se combina com a hemoglobina formando a oxihemoglobina.

V-(F) A hematose ocorre nos alvéolos.

22.09. (B)

Quanto maior a altitude, menor é a pressão atmosférica. Quanto menor a pressão, mais rarefeito é o ar. Quanto mais rarefeito é o ar, menos moléculas de oxigênio por ar inspirado, o que explica a dificuldade respiratória enfrentada pelos atletas em grandes altitudes.

Assim, uma vez que o ar em regiões mais altas apresenta menos oxigênio, é necessário encher mais os pulmões de ar. A inspiração se torna mais profunda e mais ar passa pelos pulmões, o que significa dizer que os pulmões serão mais ventilados.

Com menos oxigênio no ar, a tendência é o aumento do número de hemácias no sangue e o conseqüente aumento da quantidade de hemoglobina. Com mais hemoglobina na circulação, mais oxigênio será capturado na hematose que ocorre nos alvéolos pulmonares. Ver esquema do comentário do teste 22.02.

22.10. (C)

Lembre que o principal controle da respiração exercido pelo centro respiratório se dá em função do pH do sangue. Assim, quanto mais tempo uma pessoa fica sem respirar, como acontece durante a apnéia, mais gás carbônico é lançado no sangue. Quanto mais gás carbônico n o sangue, mais ácido carbônico é formado pela enzima anidrase carbônica dentro das hemáceas. Assim, durante a apnéia, a acidez do sangue aumenta muito, o que estimula o centro respiratório a aumentar a freqüência de respirações para eliminar o excesso de CO2 e absorver o O2.

a)(F) A uréia é produzida pelo fígado e não tem relação direta com o processo respiratório.

e)(F) O monóxido de carbono, CO, é um poluente que se liga de forma irreversível à hemoglobina causando problemas de asfixia. Não tem relação direta com o que está sendo questionado.

Para Ler e Ficar Sabendo

Apnéia ─ Refere-se à interrupção da respiração pela boca e/ou pelo nariz, por um período maior do que 10 segundos. Normalmente, durante o sono, ocorrem alguns episódios de apnéia, mas quando esses episódios são muito freqüentes e prolongados, a ponto de interferirem na qualidade do sono da pessoa, configura-se o quadro denominado Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS).

Existem basicamente três tipos de apnéia:

* Apnéia central: não ocorre entrada e nem saída de ar dos pulmões porque a pessoa não faz nenhum esforço para respirar.

* Apnéia obstrutiva: a pessoa tenta respirar, mas não consegue porque alguma região da garganta está obstruída.

* Apnéia mista: inicialmente a pessoa não faz esforço para respirar; depois, quando começa a tentar respirar, não consegue porque existe uma obstrução.

22.11. (C)

Ver comentário do teste 22.10

Durante a apnéia a pessoa deixa de respirar e o sangue deixa de ser oxigenado. Com isso, o teor de CO2 aumenta no sangue. Com mais CO2, há uma maior produção de ácido carbônico no sangue, o que explica a variação de pH para menos na parte inferior da curva Y (1). Logo depois, a pessoa volta a respirar profundamente fazendo aquele barulhão danado do ronco (hiperventilação). O CO2 começa a ser expulso pela hematose e a concentração de ácido carbônico começa a diminuir, o que explica a subida de pH da curva Y (2).

22.12. (B)

2-(F) A traquéia apresenta constituição essencialmente cartilaginosa e não muscular nem óssea.

3.(V) O músculos intercostais internos são também chamados de intercostais expiratórios. Quando eles se contraem, as costelas são puxadas para baixo e os pulmões são comprimidos, forçando a saída do ar (expiração).

5-(F) A hematose ocorre nos alvéolos pulmonar e não nos brônquios.

22.13. (C)

a) O sangue venoso, rico em gás carbônico, chega aos alvéolos nos pulmões por intermédio das ARTÉRIAS PULMONARES. As veias pulmonares saem dos pulmões levando sangue ARTERIAL ao átrio esquerdo do coração.

b) O sangue arterial, rico em oxigênio, chega ao coração pelas VEIAS PULMONARES. A Artéria pulmonar leva sangue venoso do coração para os pulmões.

c) A maior parte do gás carbônico é transportada pelo plasma,

principalmente sob a forma de íon bicarbonato.

d) A ligação da hemoglobina com o oxigênio é uma ligação fraca e instável. Lembre que a hemoglobina liga e desliga dos gases que transporta com grande facilidade. A hemoglobina forma ligação estável com o CO (monóxido de carbono).

e)  As trocas gasosas (hematose) ocorrem sem gasto de energia através da difusão simples. Assim, por diferença de concentração e a favor do gradiente, os gases são trocados nos alvéolos.


22.14. (B)

I-(F) Respirar várias vezes antes de mergulhar não faz com que mais oxigênio passe para a corrente sanguínea. Lembre que o oxigênio é transportado por intermédio da hemoglobina. A quantidade de hemoglobina no sangue é constante, raramente sofre variações. Suponha, apenas para um exercício de compreensão, que, nos alvéolos pulmonares, passem 100 moléculas de hemoglobina por minuto. Isso significa que o sangue consegue absorver apenas 100 moléculas de oxigênio por minuto. Se a pessoa acelerar muito seu ritmo respiratório e uma enorme quantidade de oxigênio encher seus alvéolos nada vai mudar em relação ao oxigênio. Ela continuará a absorver apenas 100 moléculas de O2 por minuto, pois esta é sua capacidade em função da quantidade constante de hemoglobina que possui no sangue.

Então, por que o mergulhador faz várias respirações antes mergulhar?

Respirando várias vezes antes de mergulhar ele expulsará enormes quantidades de CO2 do sangue. Quanto mais CO2 é expulso do sangue, mais ácido carbônico é eliminado da corrente sanguínea. Isso significa que mais tempo o sangue levará para atingir o estado de acidez que estimula o centro respiratório do Bulbo a desencadear a inspiração. Assim, respirando várias vezes antes de mergulhar, ocorre um aumento do lapso respiratório, isso é, ocorre um aumento do tempo entre uma respirada para outra, o que permite que a pessoa fique mais tempo de baixo da água.

II-(V) Ver comentário do item I.

III-(F) A diminuição do ácido carbônico que ocorre durante a respiração forçada que precede o mergulho faz deslocar o pH do sangue, conforme foi explicado nos itens I e II. O erro dessa afirmação está em afirmar que não se formará tóxico nenhum pela falta de respiração. Ora, durante o mergulho, enquanto não se respira, haverá um aumento gradual dos níveis de H2CO3 (ácido carbônico) no sangue, fruto do CO2 que será lançado pelas células do corpo.

22.15. (A)

Implicações de se respirar o mesmo ar que está dentro de um saco por um determinado tempo:

─ reduz a concentração de oxigênio no ar do saco plástico;

─ aumenta a concentração de CO2 no ar do saco plástico.

Na medida em que o ar fica sem oxigênio, o sangue da pessoa também ficará sem oxigênio, o que significa dizer que a pressão parcial de oxigênio no sangue irá diminuir (seta 1 do gráfico W).

O aumento da concentração de CO2 no ar presente do saco plástico dificulta a expulsão de CO2 do sangue, uma vez que a hematose ocorre por diferença de concentração. Se a concentração de CO2 do ar inspirado é muito parecida com a concentração de CO2 presente no sangue, o CO2 do sangue não consegue se difundir e sai da corrente sanguínea.

Isso significa dizer que a quantidade de ácido carbônico (H2CO3) vai aumentar ou diminuir no sangue?

A concentração de ácido carbônico vai aumentar (seta 2 do gráfico W).

22.16. (A)

I-(V) Uma vez que os nervos que comandam os músculos intercostais e o diafragma são cortados, o sistema nervoso perde o controle sobre esses músculos e os movimentos respiratórios imediatamente cessam.

II-(F) O centro respiratório não precisa de sinais elétricos vindos dos pulmões para saberem se eles estão funcionando ou não. Basta medir o pH do sangue para saber se o ciclo de inspiração e expiração está se processando. Caso o sangue fique ácido, isso significa que os pulmões não estão se enchendo de ar e o oxigênio não está sendo absorvido nem o CO2 expulso. Daí, então, o centro respiratório manda sinais para os músculos respiratórios exercerem sua função de fazer a respiração.

III-(F) Os movimentos respiratórios não são controlados pelo cérebro. Os movimentos respiratórios são controlados pelo centro respiratório localizado no bulbo.

22.17. (B)

b)(F) A ligação do oxigênio com a hemoglobina é uma ligação instável e fraca. Tanto o oxigênio como o CO2 ligam-se e desligam-se da hemoglobina com muita facilidade, uma vez que essa ligação é muito fraca. Desta forma, uma molécula de hemoglobina pode fazer milhares de transporte de moléculas de gases pelo sangue.

Quem se liga de forma irreversível à hemoglobina é o monóxido de carbono (CO).

22.18.

01)(F) Durante a inspiração o diafragma se contrai e abaixa, empurrando os intestinos para frente. Por isso que a barriga cresce quando inspiramos corretamente (respiração diafragmática). Durante a inspiração os músculos intercostais inspiratórios se contraem, o que eleva as costelas aumentando o volume da caixa torácica.

02)(V)

04)(F)

A traquéia não sobe para impedir a passagem de alimento para o aparelho respiratório. Ela é um tubo cartilaginoso longo e conectado nos brônquios que se ramificam para o interior dos pulmões, não conseguindo, assim, subir ou descer.

A epiglote é uma espécie de lâmina que se encontra por detrás da língua e que serve para fechar a ligação da faringe com a glote durante a deglutição. Essa cartilagem evita a comunicação entre os aparelhos respiratório e digestivo. A epiglote funciona como uma espécie de válvula da laringe, que é um dos órgãos do aparelho respiratório.

Durante a deglutição, a laringe se eleva, enquanto que a epiglote se abaixa, fechando a entrada da laringe e permitindo a passagem do alimento para o esôfago. Durante a respiração, a epiglote se eleva, mantendo a laringe aberta e permitindo a passagem do ar.

Quando tomamos água, essa tampa se fecha, o líquido corre pelo esôfago e alcança o estômago. Se a epiglote estiver aberta, a água penetrará no sistema respiratório e provocará um acesso de tosse.

08)(F) O centro respiratório está localizado no bulbo e não na medula espinhal.

16)(F) A laringe fica antes dos brônquios. Se os brônquios forem obstruídos, o ar não chegará nos bronquíolos nem nos alvéolos.

32)(V)

Deixe o seu comentário


Tema traduzido por Wordpress Total.